let’s blogar
Design, propaganda, fotografia, cotidiano e tudo de bom que se encontra por aí…

Uma foto pode matar?

“A resposta para a pergunta acima é: sim!

kevincarter

Kevin Carter foi morto por sua foto em 27 de Julho de 1994 . Carter era um fotojornalista do Continente Africano, membro do “Bang Bang Club” (um grupo de quatro fotógarfos do qual ele fazia parte que andava pelo continente africano recheado de guerras,  em busca de uma foto a qualquer custo) e que, em Março de 1993, em uma viagem ao Sudão fez uma foto que mudaria sua vida e o mundo para sempre.

O som de um choramingar próximo de uma vila que ele se encontrava lhe chamou a atenção e ao investigar de onde vinha o choro deparou-se com uma criança sudanesa que havia parado para descansar entre a vila e o centro de nutrição. Próximo a esta criança havia um abutre, Carter disse que esperou cerca de 20 minutos aguardando o abutre abrir as asas para fazer a foto, já que o abutre não abriu as asas, ele tirou a foto mesmo assim e logo em seguida correu atrás do abutre para afastá-lo da criança.

A foto foi vendida para o New York Times e saiu na edição de 26 de Março de 1993. Na mesma hora centenas de pessoas contataram o jornal para saber se a menina havia sobrevivido, levando o jornal a criar uma nota especial dizendo que a criança teve forças para fugir do abutre mas o seu destino final não era conhecido. Carter foi massacrado por ter esperado 20 minutos para fazer a foto ao invés de ter ajudado a criança logo que viu o abutre se aproximar. Criou-se um dos maiores dilemas do fotojornalismo no qual dizia-se que o fotógrafo numa situação como essa deveria ser uma testemunha ou um salvador?

A foto e esse dilema perseguiram Carter até o golpe final: ele foi o vencedor do Prêmio Pulitzer de Fotografia em 23 de Maio de 1994. Apesar de todo o sucesso mundial que ele obteve com a foto ele estava terrivelmente abalado e decidiu por um ponto final na sua história no dia 27 de Julho do mesmo ano, levando seu carro a um local que ele costumava ir na infância e suicidou-se envenenado por monóxido de carbono, utilizando uma mangueira para levar a fumaça do escapamento para dentro do seu carro.

Partes de sua nota de suicídio diziam:
“Estou deprimido… Sem telefone… Sem dinheiro para o aluguel.. Sem dinheiro para ajudar as crianças… Sem dinheiro para as dívidas… Dinheiro!!!… Sou perseguido pela viva lembrança de assassinatos, cadáveres, raiva e dor… Pelas crianças feridas ou famintas… Pelos homens malucos com o dedo no gatilho, muitas vezes policiais, carrascos… “

Seu suicidio foi motivo de diversas discussões e estudos sobre a ética na fotografia como vc pode ver neste vídeo.

Para saber mais sobre Kevin Carter assista o documentario de Dan Krauss: “The Death Of Kevin Carter: Casualty Of The Bang Bang Club”. E veja o vídeo da música feita pelo grupo Manic Street Preachers em sua homenagem.

Esse foi um dos primeiros fotógrafos que coloco na lista e que faz parte de um projeto para que conheçamos melhor o principal equipamento da fotografia que anda meio esquecido me meio a batalha de pixels: o fotógrafo! Quantas vezes vemos uma foto que nos chama atenção e nos perguntamos qual seria a história por detrás daquela imagem. ”

Texto enviado para uma lista de discussão pelo fotógrafo Alexandre Urch. Vale a pena refletir sobre isso.

UPDATE: Essa discussão está muito boa nos comentários, não deixem de ler. E confira tb a continuação desse assunto lá no PicturaPixel que trouxe novidades para essa discussão que talvez muitos não conheçam.

41 comments

41 Comments so far

  1. Isamu March 29th, 2009 11:40 am

    Hj vou demorar mais para dormir pensando nesse post…

  2. Andréa March 29th, 2009 4:24 pm

    Realmente impressionante!

  3. Erika March 29th, 2009 11:00 pm

    O cara foi massacrado por não ter afastado o abutre da criança. Ok. Sejamos práticos: ele esperar 20 minutos ou não, antes de afastar o abutre, não mudou muita coisa. Por fim, o abutre não atacou a criança. Mas a foto… Bom, o impacto causado pela foto foi (ou deveria ter sido) útil, como alerta de uma situação crítica num país que está na merda até hoje! Testemunha ou salvador, a foto que ele fez era e continua sendo um alerta. Um dos objetivos dos fotógrafos não é retratar o mundo – principalmente aquele que a gente não lembra que existe – para que as outras pessoas vejam?

  4. @cristalk March 29th, 2009 11:10 pm

    eu não perdôo esses 20 minutos. e não foi apenas o remorso o motivo do suicídio. foi dinheiro. nojo.

    Ps: talvez ele tenha morrido pela “sinceridade”. revelar que aguardou os 20 mim. perdeu a chance de ficar calado e preservar a própria vida.

  5. kadu March 29th, 2009 11:29 pm

    já conhecia a história do carter, mas o texto está muito bom! danilo, tu pode falar que lista de discussão é esta? email, nos comments, o que achar melhor…

    []

  6. Danilo March 29th, 2009 11:33 pm

    Kadu,
    É a lista de ex-alunos de uma escola de fotografia que fiz um curso há um tempo atrás, a escola chama-se Riguardare.

    Abs
    Danilo

  7. leticia March 30th, 2009 1:24 am

    otimo fotografo. péssimo ser humano.

  8. BETH NOVAES March 30th, 2009 7:56 am

    Carter foi um dos muitos que perante a impotência de “ajeitar” o mundo,preferiu a morte.
    Poderia simplesmente fazer a foto,omitir detalhes e ganhar dinheiro.No entanto fez diferente e não foi morto por ninguem ,mas por si mesmo,incapaz de conviver com tanta crueldade,com tanta desigualdade.
    Temos apenas a lamentar que tantos tenham se exposto por nada.Deveriamos discutir os problemas da Africa,e de tantos outros lugares e seres humanos relegados ,abandonados.Deveriamos exigir dos governantes,dos “poderosos” soluções…mas,é mais fácil,menos doloroso nos fixarmos em fatos mto menos relevantes …é a fuga da nossa própria fragilidade e impotência.
    Aplaudo de pé todos aqueles que usaram como arma as máquinas fotográficas,as canetas ,os lápis,as palavras faladas…todos os que direta e indiretamente tentaram a seu jeito deter guerras,desigualdades.
    NÃO a foto não matou ninguém.Apenas abriu caminho para reflexões bem maiores.
    E vc vai continuar vendo fotos ,lendo filósofos ,reportagens ,livros ,e no final enxergando nada ?????????????
    Os profissionais que lidam com o “lixo” (profissionais da “saúde”, coveiros, cimitérios, soldados, ongs, lixeiros, fotógrafos, escritores, repórteres, pintores, etc) raramente tem a oportunidade de modificar as causas das consequências que lhes são impostas…alguns não aguentam e preferem partir e infelizmente os que poderiam realmente mudar tudo isto nada fazem…bebem champanhe francês,viajam em primeira classe comem e bebem do melhor às custas dos lixeiros que infelizmente tem que ganhar dinheiro para pagar todas as contaS.
    Elizabeth A Novaes

  9. mateus paoletti March 30th, 2009 10:03 am

    Acho que o fato de esperar por uma boa foto, não é crucificável, até pq creio que ele não sentia o perigo eminente na hora… duvivo que se o tal abutre fizesse qualquer movimento indicando um ataque com certeza ele interferiria… outra coisa é o fato de mudar o fato…rs… O que ele como fotógrafo ali naquele país poderia fazer, senão registrar o que se passava e sensibilizar o mundo pra que ajudasse realmente.

  10. Ana Claudia March 30th, 2009 10:56 am

    Em minha opinião, ele não cometeu suicídio, mas foi indireta e lentamente assassinado pela polêmica que gerou o processo de captura daquela imagem.

    É lamentável, pois nos deparamos com imagens de idêntico significado todos os dias, a todos os momentos. Um mendigo ou uma criança na av. Paulista, no centro de SP ou qualquer outra metrópole, estão em condições muito semelhantes ao menino sudanês.

    Nós os vemos, ligamos o botão da indiferença / impotência e seguimos nosso caminho. Até que um “Cristo” como Carter apareça para que o apedrejem e livrem suas consciências da martelada cotidiana.

    Isso é o capitalismo! Voilá!

  11. Mike Rodriguez March 30th, 2009 11:16 am

    Vou levar essa discusão para a cadeira de fotografia na Unisinos, essa semana.

    @m_rodriguez

  12. Maurício Maia March 30th, 2009 12:38 pm

    A foto perseguiu Kevin Carter, mas resumir sua morte a esta foto leva a comentários como da @cristalk e @leticia.

    Ignora o fato do Clube do Bang-Bang ter passado quatro anos documentando as atrocidades do Apartheid num de seus períodos mais violentos; a morte de seu maior amigo e o ferimento de outro “em ação”; uma tentativa de suicídio bem anterior; o consumo de drogas, etc.

    A foto e a história do Bang-Bang são ótimas para a discussão da ética na fotografia, feita pelos próprios membros sobreviventes. Talvez por isto, devêssemos evitar a crítica barata.

    “Sou perseguido pela viva lembrança de assassinatos, cadáveres, raiva e dor… Pelas crianças feridas ou famintas… Pelos homens malucos com o dedo no gatilho, muitas vezes policiais, carrascos… “

  13. Carlos March 30th, 2009 1:02 pm

    Quem somos nós para julgar o que ele fez? Será que tb não ficamos esperando por 20 minutos, horas ou talvez anos para tomar alguma atitude em relação a um problema?

  14. Fernando Mafra March 30th, 2009 2:50 pm

    É confortável crucificar Carter e outros como ele se fixando em detalhes deturpados de sua NOTA DE SUICIDIO. Ele e outros tantos fizeram muito mais pela humanidade do que qualquer um que está comentando nesse post.

  15. [...] Uma foto pode matar? A resposta para a pergunta acima é: sim! Siga os enlaces. Leia os comentários na nota enlaçada. Vale a pena, palavra de navegador e de comentarista amador. Kevin Carter Siga os enlaces. A gallery of Ken Oosterbroek’s work Fotojornalismo de Guerra Da série…Quando a imagem choca. Caro Danilo, discordamos. Kevin Carter tinha “problemas mentais”, ele nunca se ajustou nesse mundo caótico. A foto ajudou no processo de “loucura” de Carter, mas acredito que o suícidio foi uma consequência “natural” da louca vida de Kevin Carter. O episódio dos filmes esquecidos no avião foi a gota d’água. Carter recebeu uma pauta e cumpriu. Esqueceu todos os filmes da matéria no avião em que viajou de volta para a África do Sul. Tentou e não conseguiu recuperar os filmes. A morte do amigo Oosterbroek também abalou Carter. Ele entrou em depressão mais uma vez e logo depois se matou. Claro que os questionamentos que ele foi alvo quando foi receber o Pulitzer em NY contribuiram em muito para a decisão final. Cito os fatos de memória, faz muito tempo que li o livro “Bang Bang Club”. O estranho de tudo isso é que Kevin Carter segue sendo crucificado. E mais estranho ainda é que ele “segue” morrendo. Como se ainda vivo estivesse. [...]

  16. Danilo March 30th, 2009 11:44 pm

    Para quem estiver acompanhando essa discussão vale a pena ler o post do PicturaPixel que trouxe novidades para esse assunto:
    http://www.picturapixel.com/?p=3118

    Abs
    Danilo

  17. [...] Desde domingo o assunto Kevin Carter apareceu em alguns blogs [aqui e aqui], o que levou todos a uma antiga discussão sobre ética; a mesma discussão que talvez tenha sobrecarregado a cabeça de Kevin Carter, e um dos possíveis caminhos que o levou ao suicídio. [...]

  18. Andréia Menegassi April 2nd, 2009 12:22 pm

    20 min esperando para fazer a foto realmente soa como uma coisa horrivel… mas nao consigo acreditar que ele nao faria nada ao menor sinal de movimento do abutre… essa historia realmente nos faz refletir sobre ética. Acho que ele realmente foi uma pessoa muito insensivel em relaçao a essa situaçao. Ai vc me diz que ele nao poderia ter mudado muita coisa… mas ainda assim, na minha opiniao, nao deixa de ser uma pessoa insensivel…

  19. Alexandre April 11th, 2009 4:29 pm

    Ele esperar 20 minutos ou não não mudaria nada, quantos de nós andamos por aí e por ali procurando uma cena que choque as pessoas que veem, quantos de nós não caminhariam km para tirar uma foto do mesmo impacto?
    E se ele não estivesse lá para esperar os 20 minutos, com certeza o abutre teria almoçado o garoto, sem ninguém pra registrar e sem ninguém pra ajudar, mas mesmo ajudando naquele momento, só prolongou o sofrimento de uma criança sem forças, nutrição e condições financeiras para se manter viva…
    Carter só registrou a realidade que não pode ser evitada por nós fotografos.

  20. Eduardo Chaves April 17th, 2009 4:22 pm

    Danilo,

    Que bom saber que o mesmo post do FOTOCOLAGEM já esteve por estas páginas também. Sem dúvida o assunto leva a reflexão e precisa ser discutido.

    O Alexandre conseguiu ser sensível ao reunir as informações e fazer um bom texto. Vale a pena ler e assistir aos vídeos.

    Obrigado pelo aviso.

    Abraços

  21. Eduardo Chaves April 17th, 2009 4:31 pm

    No final da postagem, coloquei o link para o LETS BLOGAR para que as pessoas acompanhassem a discussão.

    http://fotocolagem.blogspot.com/2009/04/uma-foto-pode-matar.html

    Abraços

  22. Alex Araujo April 17th, 2009 4:40 pm

    É o preço que se paga quando o humanitário vale menos do que uma “boa foto”. E não me venham falar sobre o impacto que a foto causou na sociedade e blá, blá, blá pois isto é só outra maneira de insistir no mesmo cretinismo estabelecido pelo jornalismo tornado produto.

  23. Catatau May 2nd, 2009 9:55 am

    Muito interessante! Mas parece que há algumas polêmicas sobre a própria credibilidade da foto, não? No sentido de que a criança não estava ali “jogada” à mercê do abutre, e o fotógrafo aproveitou a situação para compor o contexto mostrado (portanto foi ele quem teria “criado” o contexto da foto), algo assim…

    (Mas aí tenho que encontrar a referência de onde li isso)

  24. ana May 27th, 2009 5:44 pm

    O que acho incrível é estarmos sentados no conforto da nossa casa ou escritório, tomando um cafezinho e comentando que ele é um terrível ser humano por não ter ajudado essa criança. Quem já foi pra África e ajudou bebês subnutridos que atire a primeira pedra.

  25. Marilena Santiago June 16th, 2009 7:11 pm

    Terrivelmente triste a história desta criança e igualmente triste a história deste fotógrafo. Sem dúvida, esta fotografia é necessária pois é uma denúncia muito forte, mas certamente não deve ser fácil realizá-la sem se comprometer profundamente.

    Marilena Santiago

  26. VonNaturAustreVe July 8th, 2009 4:34 am

    Eu não esperaria 20 minutos para salvar a criança, o Carter com certeza iria agir ao menor sinal de um possível ataque(por parte do abutre) mesmo ter esperando os 20 minutos, a imagem da criança na foto é algo que abala muitas pessoas, mais a atitude de Carter abala muito mais,

  27. Paula August 8th, 2009 8:42 pm

    Esperar 20 minutos deve ter causado algum remorso para Carter depois…
    Pois fala que ele estava a procura de uma foto a qualquer custo…
    Certamente no momento em que estava a frente da criança imaginou que aquela seria uma boa foto que poderia até chocar o mundo,resolveu esperar, mas com certeza ele agiria se o abutre fosse atacar a criança…
    Depois que ele consegui o que queria obviamente aconteceu o que ele não esperava todos ficaram chocados em saber que ele esperara 20 minutos antes de ajudar a pobre crinça…
    Depois de ver e repensar no que ele fizera sentiu um certo remorso por não ter agido imediantamente…
    Talvez ele achou que a morte seria melhor do que sentir um grande remorso de não a ajudar quando talvez os 20 minutos que ele esperara para salvar sua vida poderia ser fatal… Remorso por querer a foto e até esperar para ter um feito chocante maior…
    certamente a foto pode chocar muitas pessoas que tem “coração” mas a atitude dele choca muitas pessoas a mais…
    Mas fica as questões dessa foto: “Onde está a igualdade?”
    “Onde está os politicos e não foram poucos que prometeram colocar um fim nisso?”
    “Por que os EUA continuam querer produzir bombas atômicas se o dinheiro que eles gastam anualmente produzindo bombas daria para matar a fome de todas as crianças que não tem o que comer?”
    “Por que encistem em saber o que há em outros planetas se o dinheiro que eles gastam nisso que nem sequer obtem resultado poderia ser usado para ajudar as pessoas que passam fome, não tem onde morar?”
    Por que? por que? Essa questão é bastante preocupante para aqueles que veêm o que anda acontecendo em nosso redor e não fecha os olhos para não enxergar, temos que ter consciência que devemos ajudar, talvez não possamos fazer muito, mas certamente esse pouco que fizermos vai ajudar alguém e se cada um fizesse um pouco talvez não existisse aquela questão em acabar com a fome do mundo, pois ela não existiria mais. Como pode existir um ser humano capaz de passar por alguém que pede ajuda que pede um prato de comida e não judar? Bom certamente essa pessoa não é um ser humano é um mostro que óbviamente nasceu da ambição de querer sempre mais. Como Jesus mesmo falou todos mas todos nós somos irmãos inependente de cor, raça ou religião. Resta-nos refletir sobre essa questão e ajudar nosso irmão.

  28. William Riga August 11th, 2009 10:38 am

    Um detalhe que ninguém notou: abutres não atacam seres vivos. Eles esperam morrer para então atacar. Ou seja, 20 minutos não fazem diferença nenhuma… Quem se atém a esse ponto é porque quer fugir da realidade do fato registrado…

  29. Renato Alarcão August 12th, 2009 4:49 pm

    A foto dele não mudou o mundo em absolutamente nada. Crianças continuam morrendo, civis continuam sendo perseguidos, estas republiquetas e ditaduras da África continuam sendo filiais do inferno na Terra.

    Além dos tormentos da memória, o cara estava duro. Não adiantou nada ter ganho prêmio, notoriedade. Não ser capaz de sobreviver do próprio trabalho foi a gota que entornou o caldo de frustrações.

    Este mês a legendária agência Sygma fechou as portas. Não consegue mais competir com a profusão de imagens e flagrantes registrados por todo e qualquer indivíduo munido de sua câmerazinha digital.

    Os catálogos dos bancos de imagens (Corbis, Stock Photo etc) tornaram-se os maiores tubarões do mercado de fotografia.
    Até os jornais impressos estão passando dificuldades em sobreviver face à concorrêcia com informação gratuita na internet.

    Dificilmente surgirá um Robert Capa ou um James Nachtwey nestes tempos de internet. Não vão achar lugar para publicar. Se acharem, não vão receber grandes cascalhos pelo seu trabalho.

  30. tito oliveira August 12th, 2009 10:47 pm

    Quanta hipocrisia. Vemos mendigos todos os dias, e fazemos de conta que a situação deles é normal. A classe média brasileira é cúmplice do descaso do governo com educação, saúde e saneamento básico. O Carter esperou 20min. para extrair o máximo da situação, querendo mostrar para o mundo as condições precárias de vida daquele povo, e não seria em vão se a interpretação alheia fosse mais inteligente.

  31. [...] Kevin Carter que fotografou uma criança desprotegida frente a um abutre (leia sobre história aqui no blog) e que tb ganhou o prêmio [...]

  32. kilson September 15th, 2009 12:43 pm

    Carlos March 30th, 2009 1:02 pm
    Quem somos nós para julgar o que ele fez? Será que tb não ficamos esperando por 20 minutos, horas ou talvez anos para tomar alguma atitude em relação a um problema?
    CONCORDO PLENAMENTE COM ESSA RESPOSTA DO CARLOS,,QUEM SAMOS NÓS PARA JULGAR ALGUEM,MUITO MENOS ESSES TÃO FALADO 20 MINUTOS,QUEM NÃO FARIA SE TIVESSE NO LUGAR DELE,SE NÃO,,QUE ATIRE A PRIMEIRA PEDRA.

  33. let’s blogar » One hundredth of a second November 3rd, 2009 11:30 pm

    [...] de guerra. Me lembrou muito a famosa história do fotógrafo Kevin Carter que já falamos aqui outro [...]

  34. [...] post Uma foto pode matar?, Danilo Siqueira mostra o caso de uma foto, uma das mais famosas que retrata a miséria, onde o [...]

  35. DEBORA SOUSA April 18th, 2010 12:04 am

    Eu estava fazendo uma pesquisa para encontrar esta fota e saber mais sabre o triste desfeicho da criança e do fotografo. Então encontrei, apesar de ter visto esta foto no ano passado, ainda fico chocada como milhões e milhões de pessoas. Alias, todas as vezes em que eu ver esta foto vou sentir a mesma sensação: como se fosse a primeira vez.
    Parabéns Danilo.

  36. amilcar April 27th, 2010 6:09 am

    foi triste o k aconteceu,mas eu penso k houve alguma coisa nao muito clara neste caso.

  37. Ética na Fotografia « Fotografia no Bixiga August 31st, 2010 11:40 am
  38. Kelly silva June 7th, 2011 7:08 pm

    Uma foto não pode condenar alguém a morte . Kevim viveu o triunfo e o desastre que qualquer carreira proporciona , e infelizmente , deu fim a dor que o consumia . Eu o admiro pela sua audácia e coragem , pois ele retratou a realidade que todos os dias vemos em todo o mundo e não fazemos nada para reverter esse quadro e se repete em regiões pobres onde crianças são vítimas indefesas . Onde você estiver ,Carter , descance em paz e sem tristeza ou culpa no seu coração. .” Na terra ,aos homens tua dor não contes . Fala ao céu . O Céu ama ao que o procura . Ergue os olhos além do horizonte ; È lá que a vida está o remédio ou cura. Alberto de Oliveira . trecho de O Supremo Remédio .”

  39. luiz henrique January 18th, 2012 8:01 am

    não vejo problema em ele ter esperado os 20 min, já que ele não poderia levar a criança consigo depois mesmo. enfim, ele ajudou a criança do modo como conseguiu. Se ele se suicidou, foi porque teve motivos, e ter vivido na áfrica já é um motivo forte quando não se tem bases fortes e se tem muita sensibilidade, além de que ele não teve apoio. Se ele falou em – dinheiro – citando necessidades básicas, é porque estava sofrendo com isso. Quem falou aí acima que teve nojo disso, está muito longe do que vem a ser uma pessoa – boa – do ponto de vista divino. ele foi um nosso irmão, que teve coragem de mostrar a realidade, e não suportou a pressão da tristeza que ha no mundo, e, infelizmente, não teve coragem de continuar vivendo, de continuar tentando.

  40. Sérgio Madeira July 18th, 2012 11:53 am

    Tenho recorte dessa foto até hoje, retirei de um jornal na época e guardei; posso dizer que o abutre e Kevim Carter é diferente da humanidade… (“o abutre observa uma criança faminta” – “segundo relato, depois de fazer a foto ele espantou o abutre e ficou observando a criança por horas a fio, chorando e fumando” – ” Kevim Carter estava deprimido com a violência da realidade que retratava e também com o assassinato de um amigo”). Carter morreu antes de receber o prêmio Pulitzer, comentava com meus amigos que o abutre tinha mais respeito com aquela criança que o próprio homem, pois aguardava a criança morrer sem atacar a vida!!!

  41. [...] – Uma Foto pode Matar? [...]

Leave a reply